PGRS: Aprenda Como Fazer Seguindo Normas E Legislação?

como fazer um PGRS

Sua empresa é uma geradora de resíduos? Se a resposta for sim, você precisa fazer o PGRS de acordo com as normas e regras estabelecidas pelas legislações ambientais.

Para te ajudar a desenvolver o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos de forma correta, elaboramos esse artigo com todos os detalhes para não errar. Confira!

Entenda Quais São Os Diferentes Tipos De Resíduos Sólidos

O que é PGRS (Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos)?

O que é PGRS (Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos)?

Para quem ainda tem dúvida sobre o que é PGRS, saiba que ele é, basicamente, um documento que aponta alternativas de como solucionar problemas relacionados à gestão de resíduos de sólidos

Exigido pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente, o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos deve descrever o volume de resíduos sólidos produzidos, a classificação de cada um deles e os tipos dos materiais usados.

O gerador precisa incluir ainda como esses resíduos serão armazenados, coletas e qual será a sua destinação final, entre outras informações.

Ou seja, o PGRS municipal é um relatório com todas as etapas da gestão dos resíduos, que vai desde a produção até o descarte dos materiais.

Como são classificados os resíduos sólidos?

Como são classificados os resíduos sólidos?

Para entender como desenvolver esse plano e o que deve ter no PGRS, é preciso que fique bem claro como esses materiais são classificados, já que essa é uma das exigências deste documento.

Os resíduos sólidos são classificados em Classe I, que são aqueles considerados perigosos, com características, como inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade, como óleos, graxas, tintas, minerais, entre outros.

Lembrando que o lodo originário das atividades sanitárias não entra nessa classe, mesmo tendo um potencial patogênico.

A PGRS legislação classifica também os resíduos em Classe II, que são aqueles não perigosos, que também se subdividem.

Os resíduos classe II A não inertes possuem propriedades como biodegradabilidade, combustibilidade ou solubilidade em água.

Nesta categoria incluem restos de alimentos, lodos das fossas sépticas, além de resíduos sanitários como papel e papelão, por exemplo.

Já os resíduos Classe II B são os inertes que, quando amostrados não apresentam concentrações superiores aos padrões de potabilidade de água ao analisar aspectos, como cor, turbidez e sabor.

Neste caso, incluem sucatas de materiais ferrosos e não ferrosos, resíduos da construção civil, dormentes inservíveis vidros, borrachas, não contaminados com óleos, solventes e tintas, etc.

Classificação De Resíduos: Entenda As Normas Para Descarte

Legislação para PGRS

A Política Nacional de Resíduos Sólidos foi instituída pela Lei nº 12.305/2010, que estabelece as regras do PGRS, como ele deve ser elaborado e por quem, além de outros detalhes importantes.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos determina a implantação de um sistema rigoroso no sentido de viabilizar a destinação final de resíduos para que esses materiais não sejam descartados de maneira irregular.

A lei responsabiliza ainda as empresas pela produção e pelo descarte incorreto dos materiais, estabelecendo sanções e aplicações de multas aos geradores de resíduos, que não cumprem as regras determinadas pela Política Nacional.

Normas Cetesb

A CETESB é a agência do Governo do Estado de São Paulo, responsável pela fiscalização das atividades das empresas geradoras de resíduos com base nas legislações federais, estaduais e municipais, como a Lei nº 12.305/2010.

Como fazer um plano de gerenciamento de resíduos sólidos (PGRS)?

Como fazer um plano de gerenciamento de resíduos sólidos

Possivelmente, você já entendeu do que se trata a PGRS. Como fazer esse documento também precisa ficar bem claro para que não haja erros que possam resultar em algum problema para a sua empresa.

Por isso, vamos te ajudar a elaborar de forma correta o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

Passo a passo para fazer um PGRS simplificado

Para desenvolver o PGRS simplificado, confira o passo a passo que elaboramos para te ajudar:

  1. Faça um diagnóstico dos setores;
  2. Identifique quais atividades são realizadas e o número de pessoas trabalham em cada área, incluindo também os tipos de insumos usados e se ocorre descarte em cada um dos setores;
  3. Liste os resíduos gerados em cada setor, fazendo uma relação de materiais, como plástico, metal, orgânicos, metal e perigosos;
  4. Agora que todos os resíduos foram listados, é preciso descrever a quantidade gerada;
  5. Em seguida, é importante que faça a classificação de cada resíduos, de acordo com a categorização que explicamos no tópico anterior.

Informações necessárias para o PGRS

Para você que quer entender como fazer um PGRS simplificado, saiba que é preciso incluir algumas informações importantes na descrição do empreendimento ou atividade, como razão social, CNPJ, nome fantasia, telefone, fax e e-mail.

Você deve incluir ainda informações, como área total, quantidade de funcionários próprios e terceirizados, responsável legal, responsável técnico pelo plano e tipo de atividade.

Variações locais (estado, município)

Obviamente que as variações de locais também não podem ser deixadas de lado no seu Plano. É importante que você inclua o endereço, município e CEP de todos os locais que a sua empresa gera e coleta os resíduos sólidos.

Descarte e armazenamento de resíduos sólidos

Para quem se pergunta o que deve ter no PGRS, vale lembrar que é preciso ainda descrever todos os procedimentos adotados para o descarte e armazenamento adequado dos resíduos com todos os detalhes técnicos.

O documento exige também que seja incluído até os equipamentos usados, como as caçambas estacionárias, por exemplo.

Conclusão

Agora que você sabe o que é e como fazer o PGRS, lembre-se que para fazer o documento é importante ter o auxílio de um profissional responsável.

Não esqueça de incluir todos os detalhes como citamos neste artigo, incluindo os processos de geração, tratamento, armazenamento, o transporte e também o descarte.

Independentemente da elaboração do Plano, lembre-se que garantir um processo adequado é uma obrigação de todo o gerador de resíduos.

Se você quer realizar todos os procedimentos de forma correta, na hora de armazenar os resíduos de forma correta, conheça os implementos rodoviários fabricados pela Cal Leve, empresa líder no mercado nacional que confecciona os mais diversos equipamentos.

Na nossa empresa, você pode desenvolver equipamentos, como caçamba e tanque roll on, caçamba para empilhadeira e estacionários, plataforma roll on, compactadores de acordo com a necessidade da sua empresa.

Quer saber mais sobre as nossas soluções? Acesse o nosso site agora mesmo e veja como podemos te ajudar!

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Fique por dentro das novidades Cal Leve!